Distrito 4780- Santiago/RS




Rotaract Club
é um programa internacional do Rotary, que congrega jovens de 18 a 30 anos de idade que acreditam que podem construir um mundo melhor.

domingo, 27 de junho de 2010

Para reflexão: O aluno perfeito

Artigo de Rubem Alves,publicado em 2007 no Jornal A Folha de São Paulo.


Era uma vez um jovem casal que estava muito feliz. Ela estava grávida, e eles esperavam com grande ansiedade o filho que iria nascer.


Transcorridos os nove meses de gravidez, ele nasceu. Ela deu à luz um lindo computador! Que felicidade ter um computador como filho! Era o filho que desejavam ter! Por isso eles haviam rezado muito durante toda a gravidez, chegando mesmo a fazer promessas.

O batizado foi uma festança. Deram-lhe o nome de Memorioso, porque julgavam que uma memória perfeita é o essencial para uma boa educação. Educação é memorização. Crianças com memória perfeita vão bem na escola e não têm problemas para passar no vestibular.

E foi isso mesmo que aconteceu. Memorioso memorizava tudo que os professores ensinavam. Mas tudo mesmo. E não reclamava. Seus companheiros reclamavam, diziam que aquelas coisas que lhes eram ensinadas não faziam sentido. Suas inteligências recusavam-se a aprender. Tiravam notas ruins. Ficavam de recuperação.

Isso não acontecia com Memorioso. Ele memorizava com a mesma facilidade a maneira de extrair raiz quadrada, reações químicas, fórmulas de física, acidentes geográficos, populações de países longínquos, datas de eventos históricos, nomes de reis, imperadores, revolucionários, santos, escritores, descobridores, cientistas, palavras novas, regras de gramática, livros inteiros, línguas estrangeiras. Sabia de cor todas as informações sobre o mundo cultural.

A memória de Memorioso era igual à do personagem do Jorge Luis Borges de nome Funes. Só tirava dez, o que era motivo de grande orgulho para os seus pais.

E os outros casais, pais e mães dos colegas de Memorioso, morriam de inveja. Quando filhos chegavam em casa trazendo boletins com notas em vermelho eles gritavam: "por que você não é como o Memorioso?"

Memorioso foi o primeiro no vestibular. O cursinho que ele freqüentara publicou sua fotografia em outdoors. Apareceu na televisão como exemplo a ser seguido por todos os jovens.

Na universidade, foi a mesma coisa. Só tirava dez. Chegou, finalmente, o dia tão esperado: a formatura. Memorioso foi o grande herói, elogiado pelos professores. Ganhou medalhas e mesmo uma bolsa para doutoramento no MIT.

Depois da cerimônia acadêmica foi a festa. E estavam todos felizes no jantar quando uma moça se aproximou de Memorioso e se apresentou: "Sou repórter. Posso lhe fazer uma pergunta?" "Pode fazer", disse Memorioso confiante. Sua memória continha todas as respostas.

Aí ela falou: "De tudo o que você memorizou qual foi aquilo que você mais amou? Que mais prazer lhe deu?"

Memorioso ficou mudo. Os circuitos de sua memória funcionavam com a velocidade da luz procurando a resposta. Mas aquilo não lhe fora ensinado. Seu rosto ficou vermelho. Começou a suar. Sua temperatura subiu.

E, de repente, seus olhos ficaram muito abertos, parados, e se ouviu um chiado estranho dentro de sua cabeça, enquanto fumaça saia por suas orelhas. Memorioso primeiro travou. Deixou de responder a estímulos.

Depois apagou, entrou em coma. Levado às pressas para o hospital de computadores, verificaram que seu disco rígido estava irreparavelmente danificado.


Há perguntas para as quais a memória não tem respostas . É que tais respostas não se encontram na memória. Encontram-se no coração, onde mora a emoção...

Aqueça seu coração doando agasalhos!


O Rotaract está recebendo doações de agasalhos até o dia 9 de Julho. As doações devem ser entregues na Diretoria do Clube União Santiaguense. No dia 10 de Julho, os agasalhos serão distribuídos aos moradores do Bairro Corte Sete. Mais informações pelo fone 9962-4219.

Seja uma pessoa solidária e ajude-nos!

domingo, 20 de junho de 2010

Para reflexão: MUDE-Edson Marques



Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais
importante que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho, ande por outras ruas,
calmamente, observando com atenção os lugares por
onde você passa.
Tome outros ônibus. Mude por uns tempos o estilo das
roupas. Dê os teus sapatos velhos. Procure andar
descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia,
ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas. Abra e feche as
gavetas e portas com a mão esquerda. Durma no outro lado
da cama… depois, procure dormir em outras camas.
Assista a outros programas de tv, compre outros jornais…
leia outros livros, viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura. Coma um pouco menos, escolha comidas
diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia.
o novo lado,
o novo método,
o novo sabor,
o novo jeito,
o novo prazer,
o novo amor.
a nova vida.
Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado… outra marca de sabonete,
outro creme dental… tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro,
compre novos óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses
horrorosos despertadores.
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros,
outros teatros, visite novos museus.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.
Seja criativo. E aproveite para fazer uma viagem
despretensiosa, longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas
piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento,
o dinamismo,
a energia.
Só o que está morto não muda !


Tenha uma excelente semana!

Algumas fotos do Arraial 2010





quinta-feira, 17 de junho de 2010

É neste sábado das 14h as 19h Arraial do Clube União.


Traga sua família e venha para a festa junina do Rotary,Rotaract e Interact,neste sábado dia 19 de Junho.Entrada gratuita! Estaremos arrecadando doações de agasalhos,prestigie e contribua!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Quinta-feira,as 8h,Rotaract na Rádio Santiago.

O Rotaract Club Terra dos Poetas, estará participando nesta quinta-feira,dia 17 de Junho, do programa Olho Vivo na Rádio Santiago. Na oportunidade,estaremos divulgando o Arraial do Clube União,evento que está sendo organizado pelo Rotary, Rotaract, Interact e Clube União Santiaguense.

domingo, 13 de junho de 2010

Para reflexão: Nino quer um amigo



Nino quer um amigo
Conto de Kátia Canton


Nino, por que você está sempre tão sério e cabisbaixo?
Nino vivia triste. Ele se sentia sozinho. Ninguém queria ser amigo dele.
Pobre Nino.

Um dia, na praia, ele ficou esperançoso de encontrar um amigo.
- Ah, um menino. Quem sabe..., e tentou chegar perto dele.
Mas o menino virou para o lado, cavou um buraco.
E ainda jogou areia no Nino.
Coitado dele.

Outro dia, na escola, ele tentou puxar conversa com uma colega de turma. Olhou para a menina, que era toda sardenta, uma graça. Esboçou um sorriso e tentou puxar assunto.
Mas estava tão acostumado a ficar calado e sério que as palavras demoraram a sair de sua boca.
A menina bonitinha desistiu de esperar que ele dissesse alguma coisa. Virou-se de costas e foi brincar com uma amiga.
Tadinho do Nino.

Nem os animais pareciam querer ser seus amigos.
Uma tarde, Nino viu um menino com um cão passeando na praça.
Ficou com vontade de agradar o cachorro, mas ficou com medo de que ele mordesse.
Fez um agrado bem tímido.
O cão nem aí para ele.
Que pena, Nino.

Até que um dia, ele tinha desistido de procurar.
Pensando em por que quanto mais tentava encontrar um amigo, mais sozinho se sentia...
Ficou distraído, pensando, e adormeceu.
Quando acordou, olhou-se no espelho.
Enquanto escovava os dentes, percebeu que fazia muitas caretas.
Achou engraçado. Enxaguou a boca e continuou brincando com o espelho.
Era riso daqui, riso de lá. Era língua do Nino e língua do espelho. Piscadela aqui, piscadela ali. Começou ali uma verdadeira folia. Era um jogo de reconhecimento entre Nino e sua imagem no espelho. E não é que Nino era bem engraçadinho? Ele mesmo nunca tinha reparado nisso antes.
Que cara legal era o Nino.
Que garoto charmoso, bem-humorado!
Nino ficou encantado com seu espelho.
Fez-se ali uma grande amizade.

E depois dessa amizade surgiram muitas outras.
Nino hoje é um cara cheio de grandes amigos. Incluindo ele mesmo.
Valeu, Nino.


Tenham todos uma ótima semana!

sábado, 12 de junho de 2010

Apoiadores do 1° Arraial do Clube União

Dia 19 de Junho o salão nobre do Clube União será tomado por muita alegria,na festa junina do Rotary,Rotaract e Interact. A escola de samba Mocidade participará do evento com a venda de pipoca e cachorro-quente, o entretenimento para as crianças ficará a cargo da Esplendor Brinquedos. Mais de 20 empresas de Santiago doaram brindes para serem utilizados na tenda da pescaria,são elas: Ótica Silva,Ótica Andrade, Ótica Bella, Ótica Pontual, Ziper da Moda,Tatá Acessórios, Mari Decorações, Variedades Biju, Prática Moda Fitness, Quero Presentes, Abra-Cadabra, Requinte Modas, Loja Kintoy, O Boticário, Mundo Mágico, Komplementos Disco Show, Sensual Moda Íntima, Rosane Confecções, Centroarte, Stúdio Visual, Loja Madonna, Pompéia, La Baby e Sapataria Camargo. Agradecemos à todos os apoiadores por acreditarem em nosso trabalho.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Neste sábado,a partir das 14h, Rotaract na Rádio Central FM.


O Rotaract estará participando neste sábado,dia 12 de Junho, do programa da Casa do Poeta de Santiago,Palavras e Ondas,na rádio Central Fm.Sintonize na 87.9 e conheça mais sobre o trabalho realizado pelo Rotaract Club Terra dos Poetas.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

O valor do Companheirismo




Por: Themístocles A. C. Pinho

Dedico-me ao Rotary há vários anos e, por diversas oportunidades, servi à nossa instituição de diferentes formas, orientando governadores em assembléias internacionais – particularmente nos assuntos relacionados à Fundação Rotária – e, mais recentemente, nos temas ligados ao desenvolvimento e à retenção do nosso quadro social.
Sobre a conseqüência dessas atividades, e também sobre outros variados assuntos, muito já escrevi e tive a oportunidade de falar. Porém, recentemente me vi envolvido pela idéia de um exame mais profundo acerca de um tema que – posso afirmar – é uma das bases do Rotary: o companheirismo. As idéias surgiram, algumas formas de abordar o assunto foram se materializando em minha mente e, aos poucos, fixei-me na forma que ora passo a expor.

O valor da amizade
Como ponto de partida, reproduzirei de forma resumida uma história que eu ouvi recentemente:
Um dia, um viajante vinha por uma estrada montado em seu cavalo e acompanhado do seu cão. Como sentiam muita sede, os três procuraram um local para beber água. Foi quando o viajante viu um lugar muito bonito, com portões dourados, tendo na sua entrada uma guarita toda em mármore branco, onde um homem estava postado. Da entrada, o viajante visualizou ao fundo de uma alameda toda pavimentada em ouro uma linda fonte que jorrava água límpida e fresca. Dirigiu-se então ao homem da guarita e perguntou: “Senhor, meu cavalo, meu cão e eu estamos com muita sede. Será que podemos beber um pouco daquela água que jorra da fonte?”
“Sim” – respondeu o homem – “mas apenas você. O cavalo e o cão não poderão entrar.” O viajante recusou a oferta e seguiu viagem. Mais adiante, ele encontrou uma velha porteira de madeira semi-aberta, e viu na beira do caminho de terra um homem sentado debaixo da sombra de uma árvore frondosa. Olhando mais adiante, viu que no final do caminho também havia uma fonte. O viajante perguntou ao homem: “Senhor, eu, meu cavalo e meu cão estamos com muita sede. Será que podemos saciá-la naquela fonte?” E o homem respondeu: “Claro, podem entrar. Todos são bem-vindos”.
Os três entraram e beberam da água. Feito isso, o viajante perguntou ao homem como se chamava aquele local. E ele respondeu: “Aqui é o céu”, ao que o viajante retrucou: “Mas senhor, antes de aqui chegarmos, encontramos um local lindo e aparentemente hospitaleiro que parecia ser o céu. Como se chama aquele lugar?” E o homem respondeu: “Lá é o inferno”.
Os três amigos voltaram à estrada, e o viajante entendeu a razão da diferença: ao contrário do céu, no inferno não há lugares para os amigos e companheiros.

Amizade em prol da ação
Essa foi a síntese de uma história ouvida em uma palestra sobre companheirismo realizada na Conferência do Distrito 4560, ocorrida em Monte Sião, MG. Ouso completar a história afirmando que o viajante preferiu ficar solidário com seus amigos de viagem a saciar sua sede, demonstrando a importância que esse relacionamento deve ter. Dirão alguns: “É uma bela história, mas o que ela tem a ver com o tema proposto?” Amigos, podemos afirmar: tem tudo a ver!
Precisamos ver o companheirismo com olhos diferentes, como apoio, solidariedade, verdadeira parceria em todos os sentidos – e sob todos os aspectos, entre nós e com o mundo – e não apenas como o companheirismo pelo companheirismo, o companheirismo pela pura conversa, boa e descontraída, ou pela cerveja bem gelada das reuniões. O que devemos ver no companheirismo é muito mais que tudo isso, como recentemente lembrou o EDRI Alceu Antimo Vezozzo: “O companheirismo é uma forma de colocar as pessoas em ação”.
O Rotary precisa, e muito, que sejamos amigos e companheiros. Mas só isso não basta. Devemos olhar e cuidar da comunidade, pois ela é a origem e o “fórum” do Rotary; os clubes devem tentar fazer com que pelo menos 50% de suas atividades estejam voltadas às suas próprias comunidades; o Rotary, como uma organização humanitária, deve se abrir para o mundo todo.
Assim, o companheirismo, a comunidade e a humanidade devem ser as peças-chave, os enfoques dominantes de nossa atuação, para que possamos atingir no segundo centenário do Rotary o mesmo sucesso obtido nestes primeiros cem anos que estamos prestes a festejar. Já se disse que o Rotary é “uma grande catedral que precisa ser aberta à comunidade”.
Porém, tudo isso só será alcançado quando fizermos do companheirismo não a causa ou o fim, mas a forma e o caminho para obtermos e promovermos tudo que deve ser feito. Precisamos saber aproveitar o companheirismo como alguns poucos de nós o fazem, multiplicando esforços em prol do bem comum e dos mais necessitados.

Matéria Retirada do site http://www2.brasil-rotario.com.br/

Themístocles A. C. Pinho